Gestação e calor

Voltando à rotina

Nas férias, é normal descuidar um pouco da alimentação e não praticar tanto exercício físico, fazendo com que seu organismo assuma um ritmo mais lento. Voltar à rotina nunca é fácil – porém, especialmente quando está grávida, é fundamental esforçar-se para recuperar os hábitos saudáveis. Confira a seguir algumas dicas que podem facilitar esse momento. Identifique as mudanças
O primeiro passo é reconhecer quais foram os excessos (ou déficits) durante as férias. A partir disso, você poderá traçar os objetivos mais facilmente. Por exemplo, desregulou o horário de sono? Comece gradualmente a ajustar o horário de dormir: diminua o horário do despertador de 30 em 30 minutos por dia. 

Volte aos poucos
Não dá para voltar do dia para a noite. A mudança repentina faz com que a adaptação seja mais difícil e, por isso, o ideal é que esse processo seja realizado aos poucos, respeitando o ritmo do seu organismo. Monte um cronograma e estabeleça metas.

Cuidando da saúde
Nas férias, é mais difícil manter uma dieta regrada e saudável. Primeiramente, o indicado é não abusar demais de alimentos ricos em açúcar e carboidratos – sobretudo se tem diabetes gestacional. Ao voltar à rotina, é necessária uma reeducação alimentar, em que você paulatinamente irá aumentar a porção de verduras, legumes, fibras e proteínas nas refeições.

Se abriu mão das atividades físicas também, converse com seu médico para encontrar a melhor forma de voltar a exercitar-se. O ideal é que inicie com um ritmo mais lento e leve, respeitando o estágio da sua gravidez e o que é melhor para seu desenvolvimento.

Ainda é verão!
Ainda teremos alguns meses com dias quentes e, por isso, é fundamental que não esqueça de passar protetor solar, pois a alta exposição aos raios UVA aumenta o risco de melasma. Além disso, é fundamental usar repelente, já que com o calor, cresce também o número de mosquitos que podem causar mais do que as clássicas coceiras, transmitindo doenças como zika, dengue e chicungunya – na gestação, elas podem causar complicações sérias à saúde do seu bebê.

E não esqueça de tomar água! A desidratação pode causar infecção urinária, um dos fatores que pode levar ao parto prematuro, além de náuseas, vômitos, e desmaios, por conta da diminuição da pressão arterial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *