Você sabe o que é e quais são as causas da prematuridade?

O período total da gravidez e o estágio de desenvolvimento no útero da mãe permite classificar o grau de prematuridade do bebê. Mesmo com o avanço na tecnologia e assistência obstétrica, nascem por ano cerca de 340.000 bebês prematuros no Brasil.

Contudo, o tratamento para a prematuridade se desenvolveu muito ao longo dos anos, elevando os índices de sobrevida dos bebês nascidos antes da 37ª semana de gestação. No post de hoje, você vai saber melhor o que é prematuridade e quais as possíveis causas que podem adiantar o nascimento do bebê. Continue conosco para conferir!

O que é prematuridade

O bebê classificado como prematuro é aquele nascido antes de 37 semanas de gestação, tempo que torna seu organismo pronto para deixar o útero materno em segurança. As condições da prematuridade variam de acordo com a idade

Prematuro tardio

O prematuro tardio é aquele nascido entre 34 e 36 semanas. O bebê que nasce nesse período, apesar de imaturo, já tem quase todas suas funções vitais preparadas, mas ainda pode apresentar alguma dificuldade na respiração, distúrbios metabólicos e outros mais leves.

Prematuro moderado

O bebê em prematuridade moderada nasce entre 29 a 33 semanas de gestação. Nesse caso, seu sistema respiratório ainda não está totalmente desenvolvido, assim como o sistema nervoso central. Ele pode apresentar dificuldades ao coordenar a respiração, como a sucção para mamar e ainda necessitar suporte respiratório. Além disso, apresenta dificuldades em manter a temperatura ideal de seu corpo.

Prematuro extremo

Já o prematuro extremo, nascido até 28 semanas, é o que apresenta organismo mais imaturo. Por esse motivo, é necessário um número maior de intervenções, como suporte respiratório, nutrição adequada, aquecimento, umidificação e atenção especializada para que o bebê consiga desenvolver-se em seu tempo, com qualidade de vida.

Órgãos como pulmão, coração, rim, entre outros, ainda não estão completamente desenvolvidos, motivo pelo qual torna-se a atenção ainda mais especial.

Causas da prematuridade

São inúmeras as causas que podem levar a gestante a ter um parto antes de completar as 37 semanas. Os fatores epidemiológicos, que envolvem questões sociais, ambientais e idade podem ser algumas das causas da prematuridade.

As causas mais comuns estão relacionadas a doenças obstétricas e ginecológicas, sendo que, muitas poderiam ser evitadas ou controladas com o acompanhamento de um pré-natal. Confira algumas situações que podem causar o parto prematuro, mas se controladas, diminuem o risco de levar a prematuridade.

Hipertensão na gravidez 

Mesmo que a pressão da mulher sempre tenha sido normal, durante a gestação ela pode apresentar alteração. A hipertensão materna durante a gestação é motivo de alerta e acompanhamento médico constante. Entretanto, pode ser controlada, sem apresentar riscos.

Diabetes gestacional

A diabetes gestacional é outra alteração que pode ocorrer durante a gravidez e apresenta risco para mãe e bebê se não for controlada.

Parto prematuro anterior

As gestantes que já tiveram outros casos de prematuridade apresentam mais chances de ter um bebê prematuro novamente. Por isso, o acompanhamento médico é fundamental durante a gravidez.

Malformação fetal

A malformação fetal pode ser um fator que determina a prematuridade do bebê e em alguns casos sendo necessária a antecipação do parto.

Doenças uterinas

Algumas causas de prematuridade também estão relacionadas à doenças uterinas, como miomas, malformação uterina, insuficiência do colo do útero, e outras. Problemas como estes podem ser diagnosticados e tratados durante consulta pré-natal, prevenindo riscos de um bebê prematuro.

Infecções maternas

Mesmo parecendo simples, uma infecção urinária, muito comum durante a gravidez, pode apresentar grave risco para a gestação, assim como qualquer outra infecção vaginal ou sistêmica quando não tratadas, podem levar a um parto prematuro.

Placenta prévia

Em algumas mulheres, a placenta, que deve estar inserida na parede do útero,  pode apresentar-se em cima do colo do útero, podendo causar sangramento e, consequentemente, parto prematuro.

Ausência do acompanhamento pré-natal

Realizar o pré-natal com um bom profissional pode evitar ou diminuir as chances da prematuridade. Nesta fase é possível identificar os problemas que levam ao parto prematuro, por isso, o acompanhamento é indispensável para saúde da mãe e bebê. Veja também outras causas que podem causar um parto prematuro sem o acompanhamento pré-natal:

  • • gestação de múltiplos;
  • • deficiência de progesterona;
  • • problemas vasculares;
  • • alergias;
  • • tabagismo;
  • • ingestão de bebida alcoólica;
  • • uso de entorpecentes;
  • • uso de alguns medicamentos;
  • • descolamento de placenta;
  • • ruptura prematura da bolsa amniótica, e outras.

 

Em alguns casos, a prematuridade não pode ser evitada, contudo, em muitos outros, o acompanhamento durante o pré-natal pode ajudar a manter seu bebê protegido e dar qualidade de vida a ele.

Ainda tem dúvidas sobre esse assunto? Então, baixe agora nosso e-book e tenha acesso a tudo que você precisa saber sobre a prematuridade!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *