Posso fazer bronzeamento artificial na gestação?

Especialistas não recomendam que gestantes tomem sol ou façam bronzeamento artificial. Isso porque, nessas mulheres, a pele já está mais sensível e suscetível a queimaduras em razão do maior nível de estrogênio e o hormônio melanocítico, que aceleram a pigmentação da pele. Há também risco de aparecerem manchas que nem sempre podem ser removidas depois do parto.

Por essa razão, dermatologistas recomendam que gestantes se protejam ao máximo da luz solar utilizando protetores de alta eficiência, chapéus e sem expor a pele diretamente. Óculos escuros também são um bom recurso para proteger o rosto, junto com o filtro solar (mesmo em ambientes internos).

A falta de proteção adequada no rosto pode fazer com que a gestante desenvolva manchas escuras, conhecidas como cloasma, o que é sinal de que a pele reage mais do que o normal à luz solar e é preciso preservá-la. Cloasmas podem piorar tanto com o bronzeamento natural como com o artificial.

Além disso, alguns trabalhos ainda preliminares indicam que pode haver ligação entre a exposição a raios ultravioleta e uma deficiência de ácido fólico. Isso porque o ácido fólico pode ser decomposto em partes menores pela luz solar intensa. Por isso, o mais sensato é evitar o bronzeamento artificial até que haja mais evidências sobre seus efeitos no corpo e certeza de que não há riscos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *