• Home
  • blog
  • Papo de mãe para mãe : engasgo

Papo de mãe para mãe : engasgo

24/07/2012 Atualizado há 8 anos

Na nossa página do Facebook, perguntamos: você já passou pelo apuro de ver seu bebê engasgado? Veja a experiência da Ariadyne Silva:
“Meu garotão estava com um mês quando se engasgou. Depois da última mamada, antes de dormir, coloquei o bebê para arrotar. Como ele ainda estava acordadinho, coloquei-o na minha cama e comecei a me trocar, sempre observando-o. De repente, ele começou a tossir. Fui até ele, virei-o de lado e comecei a bater nas suas costas. Nada de passar… A tosse começou a ficar forte, coloquei-o nos meus braços, de bruços, e intensifiquei os tapas nas costas. Nada… Tentava manter a calma, mas estava ficando impossível. De repente, ele começou a ficar cianótico (roxo). Gritei por socorro, chamando minha mãe, que é sempre quem a gente chama na hora do desespero. Chamei meu marido, meu pai e meus dois irmãos. O mais velho pegou o bebê, apoiou-o de bruços no seu braço e, com a mão, elevou a cabecinha dele, para abrir as vias aereas (detalhe importante que me passou desapercebido por causa do desespero). Com a outra mão, ele batia nas costas do bebê.
Meu filho voltou a respirar, mas estava fraquinho ainda. Peguei a bolsa. Sempre deixou a bolsa do meu bebê pronta, com tudo necessário. Minha carteira, documentos dele, carteira de convênio, roupas, fraldas, tudo. Numa emergência, como foi o que aconteceu, é só pegar e sair correndo. Meu marido não tinha condições de dirigir, então fomos com meu irmão, meu marido no banco de trás, com o bebê de bruços, eu em desepero. Isto ocorreu por volta da meia-noite e meia. Quando chegamos no hospital, desci do carro e entrei gritando no pronto socorro: “emergência, meu bebê de um mês está cianotico, engasgou”.
Imediatamente, ele foi atendido, ligaram o oxigênio, e quando eu o vi sorrindo para o médico e se mexendo, como se nada tivesse acontecido, então eu desabei. Chorei como nunca na minha vida. Agradeço a Deus por tudo ter ficado bem no final. Meu bebê completará quatro meses no próximo dia 15. Está a cada dia mais forte. Nunca mais passei por esta situação ou qualquer outra parecida. Mesmo assim, tenho colocado na minha mente que aconteça o que acontecer, primeiro é fé em Deus segundo, manter a calma, por mais difícil que possa parecer.”

© 2020 Santa Joana. Todos os direitos reservados.

Rua do Paraíso, 432 | CEP 04103-000 | Paraíso | São Paulo | SP | 11 5080 6000

Responsável Técnico: Dr. Eduardo Rahme Amaro | CRM 31624

Agendar visitaAgende uma visita, vamos adorar receber você.Quero agendar uma visita